Telmo Pires - Silêncio e Tanta Gente

Conheci o Telmo Pires, através do Instagram. Uma descoberta muito interessante. 

O poema, que divaga entre as notas musicais e as palavras, neste canto, é de suma riqueza.
De 1984, um tema de Maria Guinot que, naquele ano, venceu o festival da canção português.





Ouça outra versão/interpretação aqui .



A letra

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou

Comentários

  1. Uma canção intemporal. Sempre maravilhosa de ouvir seja em que voz for

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Só anos mais tarde, percebi a força do poema

    ResponderEliminar
  3. Uau! Lembro-me tão bem. Parece gosto mais de ouvir na voz masculina. Obrigada pela partilha!
    -
    Tudo desperta, como a vida, quando regressa
    -
    Beijos e uma excelente noite

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, emoções, prazeres, opiniões e alguma ficção. Também de pessoas que interagem e de uma mão que se estende, mesmo que cheia de nadas.

Não deixe de comentar!
Um abraço.
Paulo.

Mensagens populares deste blogue

O Professor está a dar cabo de mim