Livre não Sou





Livre não sou, que nem a própria vida 
Mo consente. 
Mas a minha aguerrida 
Teimosia 
É quebrar dia a dia 
Um grilhão da corrente. 

Livre não sou, mas quero a liberdade. 
Trago-a dentro de mim como um destino. 
E vão lá desdizer o sonho do menino 
Que se afogou e flutua 
Entre nenúfares de serenidade 
Depois de ter a lua!
                                                        

  Miguel Torga

Comentários

  1. Uma escolha bem a propósito! Amei :)

    Espero que estejam, ambos, bem! :)
    -
    Existe um raio de sol que todos desejam
    -
    Votos de uma excelente semana! "Protejam-se"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Livre não sou, mas quero a liberdade.
      Trago-a dentro de mim como um destino."


      Um beijo grande e os votos de muita força e saúde para si e para os seus.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Talvez noutra dimensão:

      "Livre não sou, mas quero a liberdade.
      Trago-a dentro de mim como um destino."

      Abraço.

      Eliminar
  3. Tive a oportunidade de o conhecer pessoalmente.
    Austero, de poucas palavras, cara fechada.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito destes 2 versos:
      "Livre não sou, mas quero a liberdade.
      Trago-a dentro de mim como um destino."

      Grande abraço e muita força.

      Eliminar

Publicar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, emoções, prazeres, opiniões e alguma ficção. Também de pessoas que interagem e de uma mão que se estende, mesmo que cheia de nadas.

Não deixe de comentar!
Um abraço.
Paulo.

Mensagens populares deste blogue

O Professor está a dar cabo de mim