Avançar para o conteúdo principal

A aldeia morre

Imagem de Stefan Keller por Pixabay

Gradualmente, a aldeia morre.  As personagens de ontem, já não são as de hoje. Um manto consigo tem levado histórias, restando memórias que se confundem, no decorrer do tempo. Do imenso, instala-se a solidão. Aquela cujo abraço corrói.

Com Amor, Simon


Com Amor, Simon é um filme americano, baseado no livro O Coração de Simon Contra o Mundo. A homossexualidade na adolescência - a descoberta do Eu - e o bullying são abordados de forma natural. Um excelente veículo para quebrar barreiras entre pais e filhos, por exemplo. Como na generalidade das obras americanas, há uma família perfeita, tudo corre bem e até o diretor da Escola obedece ao perfil que considero adequado, no que concerne à relação com os jovens.

Pessoalmente, considero o livro uma mais-valia, escrito por uma psicóloga, com correção e experiência junto à população-alvo. Trata-se de literatura juvenil  que prende, até os mais velhos, na esperança de saber quem é o Blue - o "amor" de Simon - e se a relação tem continuidade.  É nas palavras que encontramos uma abordagem realista de um certo bullying, expondo uma rede social que à data de uma formação em Saúde Mental Juvenil, alimentava as tentativas de suicídio ou práticas de distúrbios alimentares, numa cidade próxima da minha, o Tumblr. Curiosamente, ao bom estilo americano, esta plataforma de microblogues proibiu conteúdos adultos/pornográficos, não procurados pelos jovens, talvez por ter como base a fotografia, mas nada fez quanto aos mencionados, capazes de dizimar a harmonia familiar, destruir futuros promissores e a saúde. 

No livro, envolvemo-nos na história, nos medos, fracassos e ficamos sedentos por descobrir, à semelhança de Simon, quem ocupa o seu coração. Também o início dos contactos íntimos são abordados, de forma cuidada, sem esquecer as reações dos pares, perante um Simon que é forçado a assumir-se. Uma obra que recomendo a pais, adolescentes e aos diferentes atores da comunidade educativa.

Comentários

  1. Imagino a história linda que será! ...Tantos de "nós" nos identificamos!

    [Está tudo bem consigo]?
    -
    Quando vens o teu silêncio é notado
    Boa noite, e uma excelente semana. Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cidália.
      Uma mudança na medicação e formação têm-me devorado o tempo. Hoje, espero terminar uma das formações. Falta o relatório e o teste final. Ups, só falta 1:30 e eu aqui. Tenho de fazer um banho para ajudar a aliviar a sinusite.
      Beijo muito grande para si e para os seus.

      Eliminar
    2. Adorei este filme. Já o vi há coisa de quase um ano, mas recordo-me bem da história e gostei imenso. No fundo, o amor devia ser descomplicado. É bonito ver depois a cumplicidade dos colegas para que ele encontre o emissor das mensagens. Aproveito também para agradecer o seu vídeo (que após ouvir já me fez dar umas gargalhadas) e toda a ajuda que tão simpaticamente me prestou. Bem haja, Paulo. Desejo as melhoras que tudo esteja a correr bem e um beijinho à mãe e a si.

      Eliminar
    3. Olá, Maria.
      Boa tarde.
      Obrigado pelas palavras. De facto, o apoio prestado pelos colegas é admirável. O livro é de fácil leitura, mas mais completo.
      Nada tem a agradecer. Não estou habituado a usar o programa para o efeito (no PC onde me encontro, tenho um e no do escritório, outro), pelo que fiquei um pouco atrapalhado, confesso. Tinha de responder.
      Por aqui, formação feita, quase a iniciar outra - já nem sei se nesta semana ou na próxima. O tempo para a blogosfera e redes sociais tem sido escasso. Muito escasso 😒!
      Deixo-lhe um beijo grande e os votos de uma boa semana.

      Eliminar
  2. Não vi este filme, mas sei do que trata. Não o vi por achar que seria mais voltado para o público adolescente e como não posso ver todos...! Por acaso viu Call me by your name? Foi um dos meus favoritos do seu ano de estreia. Aconselho muito. Obrigada por ter passado no meu blogue e comentado as minhas bolachas! Não tenho tido muito tempo para escrever e ainda menos para visitar e comentar blogues!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos em sintonia. O meu tempo para a blogosfera tem sido muito escasso. Acabei por desistir do desafio de escrita criativa, pois tenho formação durante a semana e eu gosto de aprender.
      Adoro Chama-me Pelo Teu Nome. Adoro, é o tipo de cinema que vai ao encontro da minha exigência. Detesto filmes e séries instantâneos.
      Deste, prefiro o livro, mas tenho de ler também Chama-me Pelo Teu Nome. Penso que pode ser melhor, mas o realizador do filme é tão sensível aos pormenores...
      Ainda a respeito de O Coração de Simon Contra o Mundo, trata-se de um bom livro para estimular o gosto pela leitura e criar debates. Não fosse o celeuma que alguns pais possam criar (ainda não acredito que já apresentei Filadélfia numa turma de 6.º ano) - pais ou professores, já que, muitas vezes, os maiores inimigos estão perto de nós -, faria parte das aulas de Cidadania e CNAT6.

      Eliminar

Enviar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, emoções, prazeres, opiniões e alguma ficção. Também de pessoas que interagem e de uma mão que se estende, mesmo que cheia de nadas.

Não deixe de comentar!
Um abraço.
Paulo.

Mensagens populares deste blogue

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

O Afastamento dos Professores do Ensino