Avançar para o conteúdo principal

Susanna Hoffs - Unconditional Love

De 1991





Também pode ouviraqui

Entre a Luz e a Sombra

Desafio de Escrita dos Pássaros #17


Fotografia da minha autoria



Os tempos de luz revelam-se inóspitos. 
A verdade assola fantasmas do passado, enquanto forças apregoam a perfeição e os valores de outrora. Um séquito sombrio, capaz de gerar violência, intolerância e várias formas de xenofobia cresce, por entre as sombras dos erros daqueles que abusaram das regalias ou potenciais de um povo.

A luz tornou-se ténue. A sombra deu lugar à replicação dos parasitas que disseminam o ódio e comiseração forjada. Entre a luz e a sombra vive a verdade. Por vezes, utópica, mas muitas vezes domada pela força de certas penumbras elitistas.

O som daquele grito ecoou. Entre a luz e a sombra, os deveres e os direitos apresentam assimetrias. O ataque começou. Daquela voz, pouco mais se ouviu. Seguiu-se um jato de sangue, num apelo estranho ao silêncio dos inocentes.

Entre a luz e a sombra, muitos são os erros. Enganos que enriquecem uns, enfraquecendo outros, pondo em causa o futuro.

Entre a luz e a sombra…

Comentários

  1. "A sombra deu lugar à replicação dos parasitas que disseminam o ódio e comiseração forjada."

    Sem dúvida.
    Escreve muito bem, PP.

    ResponderEliminar
  2. "Entre a luz e a sombra, muitos são os erros."
    Quando se esperaria o equilíbrio.

    Beijos
    Sarin

    (tenho conta google. não consigo comentar nesta plataforma. grrr!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo. Seria de esperar o equilíbrio.

      Comigo acontece o mesmo. Tenho disponível a função Nome/URL, que podes optar, ao invés de Anónino. No URL insere o endereço do blogue. Já no nome, por S. chego lá. Contudo, também tenho dificuldade, por ter outra conta no Gmail (2 ) em comentar outros blogues desta plataforma, usando a do blogue. É o que me deixa em dúvida se devo manter ou não o Disqus. Por exemplo, gosto das Gif que podes colocar.
      Bjs

      Eliminar
  3. Muito a réplica da nossa vida, do nosso dia-a-adia.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  4. Um texto que me agradou bastante! Amei!:)
    -
    A solidão da distância ...
    Beijo e uma excelente semana!

    ResponderEliminar
  5. Um dos seus melhores textos, guardado para o final do Desafio! Apreciei muito. Venho para as despedidas, enquanto parceira do Desafio. Cedo o meu lugar a outro,na 2ª volta, também é justo, mas faço-o menos por generosidade do que por enfado. É assim, canso-me depressa. Os incentivos também não eram muitos, a não ser o gosto pela escrita, e para isso não preciso de desafios. Talvez se os temas tivessem sido mais desafiantes ou a interacção maior, continuasse Ou talvez não. De qualquer forma, isso nada interessa. Na próxima sexta, às 15h, ainda publicarei um extra, do #6, pois escrevi dois: o primeiro foi vetado pela malta aqui de casa. Mas vou publicar agora para encerrar o ciclo. Irei continuar a visitá-lo, claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio tratar-se de uma questão de interação, na qual assumo-me pecador, uma vez que problemas têm condicionado as minhas vontades. Por razões de vária ordem, não me identifico com a plataforma Sapo. Alguns grupos são muito fechados.
      Para mim, é difícil manter um tema semanal, dada a complexidade quotidiana.
      Tenho de verificar se nos blogues divulgados no arquivo tenho o seu no Sapo ou o do Blogspot. Bem-vinda a casa ;)

      Eliminar
  6. Penso que entre a luz e a sombra vive a verdade, mesmo que com muitos erros.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, emoções, prazeres, opiniões e alguma ficção. Também de pessoas que interagem e de uma mão que se estende, mesmo que cheia de nadas.

Não deixe de comentar!
Um abraço.
Paulo.

Mensagens populares deste blogue

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

Amor Marginal