Avançar para o conteúdo principal

A aldeia morre

Imagem de Stefan Keller por Pixabay

Gradualmente, a aldeia morre.  As personagens de ontem, já não são as de hoje. Um manto consigo tem levado histórias, restando memórias que se confundem, no decorrer do tempo. Do imenso, instala-se a solidão. Aquela cujo abraço corrói.

As duas primeiras temporadas de POSE


POSE



Em Portugal, até ao momento, as duas primeiras temporadas da série POSE, do canal FX, estão disponíveis na HBO. Na Netflix podemos encontrar a primeira.

Esta é uma série dramática, que nos permite aprender, ao contactar com uma realidade de variáveis longânimes. O elenco é predominantemente transexual, afro e latino-americano. Por vezes, pensamos ver Fame ou algumas das cenas do filme Filadélfia. Como pontos fortes, o elenco, a direção de atores, a banda sonora, o argumento, os figurinos e a luz. POSE consegue ser doce e divertida, enquanto ácida e cruel.

A 1.ª temporada decorre em 1987/88. Muitos jovens homossexuais ou transexuais, após serem postos fora de casa, pelos pais, são acolhidos, do mundo da criminalidade, drogas ou pobreza extremas, por algumas mães transexuais; neste caso homens que se sentem mulheres, com um profundo instinto maternal. Assim se formam as casas representativas das noites de baile, competindo entre si, com glamour, moda e passos de dança inovadores. O flagelo da SIDA começa a proliferar na comunidade, até porque, para sobreviver, muitos têm de recorrer à prostituição, e com esta, toda a violência das ruas, sem o cumprimento da Lei por parte de quem de direito. Os diálogos são ricos, verossímeis e tocantes.

No que diz respeito à 2.ªtemporada, esta tem início em 1990, servindo de mote à comunidade LGBTIQ+ citada, o êxito Vogue, de Madonna. A cantora levou ao TOP e ao mundo a cultura que estes iniciaram, inclusive, na década de 70. O respeito dos outros começa a fazer-se sentir, enquanto a SIDA e as histórias de amor têm continuidade. POSE não é uma série erótica ou sensual. Trata-se de um espaço de realidades, em que cada episódio termina com uma citação. O preconceito americano é posto em causa, face a uma Europa com outros valores.

Uma série a ver e sentir. 
A intolerância mata.

Comentários

  1. Tentei ver no HBO, mas bloqueava muito!
    Tenho de voltar a tentar ver...parece uma boa série!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A 1.ª temporada está também na Netflix.
      Contacta o serviço de apoio da HBO, mesmo que pelo Instagram. Eles respondem!
      Abraço.

      Eliminar
  2. Tenho muita raiva de mim mesma por não me prender a filmes, séries, etc... :)
    -
    Amo a Vida...
    Beijos.Bom noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Cidália.

      De segunda até ontem estive sem internet, telefone e tv, por causa da tempestade, aqui no meu distrito e nos vizinhos.
      Antes, também não conseguia. Sobretudo na época do burnout. Dificuldades em reter a mensagem ou falta de paciência. O meu prazer renasceu com a Netflix, ao aceder a conteúdos europeus e da américa latina. Nos canais por cabo, confesso ainda não conseguir segui-las e não ter paciência para intervalos entre filmes. Também não perco tempo com obras que nada me ensinem.

      Beijo grande.

      Eliminar
    2. Já desconfiava que deveria ter acontecidos mais aborrecido derivado à tempestade. Por cá apenas árvores caídas, embora estivessem estado uns dias de vento assustadores. Espero que tudo já tenha passado e você esteja mais tranquilo.

      Beijinhos :) Bom fim de semana.

      Eliminar
    3. Não sei o que se passa comigo, Cidália.
      Nunca estive tanto tempo sem publicar, sem escrever...

      Na semana passada fez 1 ano que a avó partiu. Julgava já não conseguir chorar, mas nas sessões de psicologia, por vezes, a minha alma solta-se num fluido que me impede de ver.
      Um grande beijo meu.

      Eliminar
  3. Confesso que desconhecia por completo.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também desconhecia. Só descobri que a 1.ª temporada está disponível na Netflix ao pesquisar para elaborar esta publicação.
      É fantástica, sobretudo por permitir-nos aprender e ver tanto talento.
      Abraço.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Está disponível na Netflix e HBO. Descobri por mero acaso.

      Eliminar

Enviar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, emoções, prazeres, opiniões e alguma ficção. Também de pessoas que interagem e de uma mão que se estende, mesmo que cheia de nadas.

Não deixe de comentar!
Um abraço.
Paulo.

Mensagens populares deste blogue

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

O Afastamento dos Professores do Ensino