Avançar para o conteúdo principal

As duas primeiras temporadas de POSE

Em Portugal, até ao momento, as duas primeiras temporadas da série POSE, do canal FX, estão disponíveis na HBO. Na Netflix podemos encontrar a primeira.
Esta é uma série dramática, que nos permite aprender, ao contactar com uma realidade de variáveis longânimes. O elenco é predominantemente transexual, afro e latino-americano. Por vezes, pensamos ver Fame ou algumas das cenas do filme Filadélfia. Como pontos fortes, o elenco, a direção de atores, a banda sonora, o argumento, os figurinos e a luz. POSE consegue ser doce e divertida, enquanto ácida e cruel.
A 1.ª temporada decorre em 1987/88. Muitos jovens homossexuais ou transexuais, após serem postos fora de casa, pelos pais, são acolhidos, do mundo da criminalidade, drogas ou pobreza extremas, por algumas mães transexuais; neste caso homens que se sentem mulheres, com um profundo instinto maternal. Assim se formam as casas representativas das noites de baile, competindo entre si, com glamour, moda e passos de dança inovadores. O f…

Acordei nu, naquela ilha

Desafio de Escrita dos Pássaros #9




Nu, sem pudores, finalmente em sintonia com o meu Eu.

Durante anos, chamei-me Irina. Nasci com o sexo errado, num cérebro aparentemente normal. Desde cedo, senti atração por outras mulheres. 
Apesar de, na escrita, estar a utilizar o género feminino, por forma a não confundir o leitor, nunca fui “ela”. Nunca aceitei ser tomada por lésbica. Sempre me senti homem e os gostos/tendências obedeceram ao género, quando as assimetrias ainda eram evidentes.

Neste meio século de vida, nunca fui amada. A minha família, católica praticante, jamais me aceitou. Na verdade, nem tentei. Sempre estive atenta aos comentários tecidos pela minha mãe e outros familiares em diferentes contextos. Segui o ramo de investigação, mas só consegui trabalho no ensino. Os primeiros vencimentos permitiram começar a entender-me, em diferentes especialidades, nos HUC. 

Entretanto, uma vida repleta de máscaras e de um sofrimento que poucos entendem. 
Sempre odiei a roupa feminina, as minhas mamas, a menstruação, a ausência de barba, o ter de vestir-me e agir de uma forma não conducente com o meu interior. No meu percurso, foram inúmeras as situações nas quais senti-me repudiada por colegas e alunos. Sei que o meu exterior sempre evidenciou o masculino que há em mim: o cabelo, o rosto, o corpo magricelas, o tipo de pele. Quantas vezes prendi as mamas, tentado diminuí-las, refutá-las, esventrá-las. Quanto desejei uma menopausa precoce?

Um dia decidi ser feliz. Quebrei o cordão umbilical. Os tratamentos impediram-me continuar a ensinar. As ruas aceitaram-me, durante as noites frívolas, pelas quais periguei. 
Finalmente, acordei homem. O amanhã, fácil não será. Indefinido, indeterminado… 

Não sei onde estou, muito menos como vim para esta ilha. Despido, mas finalmente quem sou. As ruas, essas seguramente manter-se-ão as minhas eternas amigas.


Dedicado a um amigo, baseado em momentos seus.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O Afastamento dos Professores do Ensino

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

Amor Marginal