Avançar para o conteúdo principal

Sabores

O Afastamento dos Professores do Ensino

Fonte - Facetoons

Em Lisboa, a Câmara Municipal crê que as rendas altas têm vindo a afastar os professores da capital do nosso país. Como tal, quer articular-se com o Governo para disponibilizar casas mais baratas para os professores. Impõe-se a pergunta. Só em Lisboa? 


Há muito que as condições de habitabilidade e respetivas rendas de casa são fatores inibidores para muitos profissionais, inclusive no interior do país. 

Um exemplo prático, de há 10 anos: uma cave, com uma só janela muito pequena, uma casa de banho e um único espaço para a mesa de cozinha, frigorífico e quarto, em poucos metros quadrados por 250 €/mês. Também as distâncias da residência à zona de trabalho são inibidoras. Não só no interior do país, muitas distâncias entre os 40 e os 50 km implicam o desgaste significativo do meio de transporte, uma ou mais horas de condução, riscos de vária ordem; deambulando por estradas que esboçam curvas no horizonte de relevo acidentado.



Muitos consideram os professores candidatos e colocados em MPD, usufruem de benefícios invejáveis. A realidade de quem não recorre a técnicas ilícitas, nesta modalidade, é, por exemplo:

A realidade de muitos professores continua abnegada. Apesar do exposto, o Dr. Tiago Brandão foi reconduzido pelo PM, António Costa, na atual conjuntura política. A evidência da paixão pela educação, de um governo que continua sem dar resposta à falta de auxiliares nas Escolas, aos pedidos de reapreciação referentes à mobilidade por doença (MPD), apresentados em julho, aos critérios aplicáveis à MPD — Despacho 9004-A/2016 , às implicações da dúbia Lei da Meia Jornada, à desvalorização e envelhecimento dos atores da comunidade educativa… 


Atualmente, nas nossas Escolas, o corpo docente está envelhecido e desgastado. O ambiente é muitas vezes insustentável, embora, neste caso, alguns dos seus intervenientes devam ser responsabilizados. A falta de sensibilidade, o autofilismo e a bajulação exercida sobre quem não possui tais “atributos”, dá lugar a casos de burnout. Muitos professores alimentam a falta de harmonia e o sindicalismo não responde às exigências de uma profissão que requer uma Ordem. Ao contrário do passado, há 11 ou mais anos, de algumas direções fazem parte elementos que há muito não lecionam. O que também acontece nos Sindicatos. Das direções, muitos diretores e respetivos colegas permanecem anos e anos detentores do mesmo cargo, o que provoca, em muitos casos, abuso de poder, autoritarismo e vícios. Algumas escolas são verdadeiros microcosmos ditatoriais. Quais são as ferramentas dos atores que nelas trabalham, por forma a fazerem ouvir a sua voz? O voto atribuído em Conselho Geral, por elementos muitas vezes desconhecidos e que nada transmitem nem ouvem os colegas? 


a impossibilidade de acompanhar/ apoiar os familiares diretos, na 3.ª idade;
— a atribuição de turmas complicadas, e respetivas direções de turma, a quem, por exemplo, todos os dias acompanha cancros terminais;
— a distribuição de serviço fora do grupo de recrutamento;
— os horários desajustados das práticas dos cuidadores informais.

Apregoem o fanatismo partidário, negando o óbvio. O pensamento simplista está enraizado pelas redes sociais. Sim, defendam os currículos e horários desajustados dos níveis etários, e as infâncias roubadas. Esqueçam que, "Quem faz um filho fá-lo por gosto" e que a educação deve ser dada em casa. Refutem o bullying e a violência exercida nos agentes educativos, a falta de condições, as famílias disfuncionais, o baixo número de técnicos especializados… 
Sem esquecer o ambiente, há que dar continuidade ao gasto excessivo de folhas de papel, a implementar em provas de aferição cuja utilidade não justifica as incumbências depositadas em alguns dos professores de uma Escola e nos alunos. Atinente aos programas, os reflexos não são visíveis. Muitas das matérias lecionadas não têm continuidade. O que é feito daquele país digitalmente evoluído? Os professores precisam criar, incentivar, estimular, estudar, preparar aulas e utilizar diferentes processos de avaliação, tal como plasmado no Estatuto do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória, em conformidade com as Aprendizagens Essenciais. Um ambiente tranquilo e condições de trabalho são algumas das necessidades essenciais, em contexto laboral, necessárias aos docentes e com reflexo nas aprendizagens. Tal não acontece com a crescente burocracia e a falta de instrumentos que deveriam ser emanados pelo ME, como é o caso das grelhas de avaliação.

Há muito a política tem vindo a servir o interesse de alguns: aqueles que dela beneficiam monetariamente. Isto porque, no mundo dos números, há quem venda a alma ao diabo. A mudança impõe-se. Tal acarreta luta. Aquela que muitos não abraçam, por falta de recursos, bajulação, cinismo ou egoísmo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Amor Marginal

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…