Avançar para o conteúdo principal

As duas primeiras temporadas de POSE

Em Portugal, até ao momento, as duas primeiras temporadas da série POSE, do canal FX, estão disponíveis na HBO. Na Netflix podemos encontrar a primeira.
Esta é uma série dramática, que nos permite aprender, ao contactar com uma realidade de variáveis longânimes. O elenco é predominantemente transexual, afro e latino-americano. Por vezes, pensamos ver Fame ou algumas das cenas do filme Filadélfia. Como pontos fortes, o elenco, a direção de atores, a banda sonora, o argumento, os figurinos e a luz. POSE consegue ser doce e divertida, enquanto ácida e cruel.
A 1.ª temporada decorre em 1987/88. Muitos jovens homossexuais ou transexuais, após serem postos fora de casa, pelos pais, são acolhidos, do mundo da criminalidade, drogas ou pobreza extremas, por algumas mães transexuais; neste caso homens que se sentem mulheres, com um profundo instinto maternal. Assim se formam as casas representativas das noites de baile, competindo entre si, com glamour, moda e passos de dança inovadores. O f…

Os 70 anos do Boss Bruce

Com 20 anos de carreira, hoje comemoram-se os 70 anos de Bruce Springsteen, o miúdo que sofreu de bullying ligeiro na escola, e que se tornou numa das maiores referências do panorama do rock, a nível internacional. Pode ler alguns aspetos da vida desta estrela no artigo Bruce Springsteen cumple 70 años: el chico que sufría acoso escolar y se convirtió en héroe del rock .

https://www.telegraph.co.uk/men/thinking-man/the-boss-and-me-how-bruce-springsteen-brought-my-family-together/
Bruce Spingsteen


Atinente à comemoração da data, deixo-lhe uma lista do Spotify, com as músicas mais emblemáticas.



Pode ler The Boss and me: How Bruce Springsteen brought my family together

Quais são as suas músicas preferidas deste intérprete?

Comentários

  1. Ainda guardo o LP Born in the USA. Acho que é o único que tenho dele mas fui acompanhando a carreira sempre. É um artista sincero, sem artifícios. Hoje não tem equivalente mas também não ando assim tão embrenhada na música para poder afiançar. Também tenho bastante simpatia pelo David Grohl, mias novo, um pouco diferente, mas que também me transmite alguma genuinidade que hoje parece não ser de interesse para a maioria, pelo menos para aqueles que trepam pelos TOPs. Acerca dos diários digitais, não sabia que existiam até ter escrito estas postagens! Foi uma surpresa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recentemente comprei um gira-discos. Gosto muito do vinil.
      De facto, este é dos poucos músicos que não viveu, nem alimentou polémicos. Os anos 80 são, sem sombra de dúvida, os meus preferidos, no panorama musical.

      Relativamente aos diários digitais, além de funcionais, permitem o registo de um sentimento, desabafo...imediatos, sem recurso a papel. O que, muitas vezes, permite-nos controlar a impulsividade. Para quem não tem uma caligrafia bonita, como é o meu caso, ou que difere entre dias, momentos e estados de alma, são a alternativa perfeita ao papel, com boa apresentação.

      Continuação de um bom dia.
      P.

      Eliminar
  2. P.sS. O seu blogue está com muito bom aspecto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, Belinha.
      Começa a ganhar vida.
      Gradualmente, o blogspot está a implementar melhorias (já não era sem tempo!).
      Abraço,
      P.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Adoro The River. Uma melodia que desperta o sentir da alma.
      O outro tema, muito conhecido, faz parte da banda sonora de Filadélfia. Quando pela 1.ª vez vi este filme, no cinema, eram tantas as lágrimas (recordo muitos turistas na cidade e naquela sala). Tive dificuldade em conter as minhas...

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Estás muito gira na foto de perfil!

      Tantos anos de carreira e nada de vedetismos, tão triviais por terras do Tio Sam
      Beijos meus,
      P.

      Eliminar
  5. Dear God... 70 anos? Já?
    Mas este homem não tem idade! 😊

    Eu acompanhei (fui acompanhando pela música que passava na rádio) a sua carreira mas sou péssima com nomes de músicas. Dos 64 temas que estão na playlist, só reconheço alguns. Mas tenho a certeza que irei reconhecer muitos mais quando a colocar a tocar!

    Obrigada por esta prendinha
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, parece bem mais novo. Certamente, soube gerir a carreira, dizer não a muitos vícios e aceitar as derrotas.

      Muitas vezes também não identifico os temas pelos nomes. É frustrante!

      Abraço.
      P.

      Eliminar

Enviar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, que se misturam com emoções e valores, entre alguma ficção. Também de pessoas com opinião, sentimento e uma mão que se estende.

Não deixe de comentar!


Um abraço do
P. P.

Mensagens populares deste blogue

O Afastamento dos Professores do Ensino

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

Amor Marginal