Avançar para o conteúdo principal

As duas primeiras temporadas de POSE

Em Portugal, até ao momento, as duas primeiras temporadas da série POSE, do canal FX, estão disponíveis na HBO. Na Netflix podemos encontrar a primeira.
Esta é uma série dramática, que nos permite aprender, ao contactar com uma realidade de variáveis longânimes. O elenco é predominantemente transexual, afro e latino-americano. Por vezes, pensamos ver Fame ou algumas das cenas do filme Filadélfia. Como pontos fortes, o elenco, a direção de atores, a banda sonora, o argumento, os figurinos e a luz. POSE consegue ser doce e divertida, enquanto ácida e cruel.
A 1.ª temporada decorre em 1987/88. Muitos jovens homossexuais ou transexuais, após serem postos fora de casa, pelos pais, são acolhidos, do mundo da criminalidade, drogas ou pobreza extremas, por algumas mães transexuais; neste caso homens que se sentem mulheres, com um profundo instinto maternal. Assim se formam as casas representativas das noites de baile, competindo entre si, com glamour, moda e passos de dança inovadores. O f…

Entre eles, quantos problemas





Naquela manhã, aparentemente terna e estimulante, banhada pelo conforto do vento suave que acaricia a tez, Sara, por instantes, guardou em si todos os problemas do mundo.
Ao longe, águas com partículas atómicas dançantes, percorriam o leito que as abraçava e que Sara jamais conseguira ter, num contraste de cor e som. O seu Eu e o leito sempre foram preenchidos por fluídos que adornavam as paredes encarecidas e tristonhas daquela casa, assim como pelas marcas que alcançavam a alma. 

Subitamente, a seu lado, apercebeu-se da existência de uma víbora que dava início ao seu manjar: uma codorniz que via assim o princípio do fim, na teia do encantamento feroz e traiçoeiro de um instante de confiança. A poesia não residia ali. Uma vez mais, assim como em tantas das páginas da sua vida, a liberdade fora-lhe roubada. 

Sara, gritou. Um grito que trouxe consigo a libertação de uma dor interna, incomensurável, profunda e agonizante. Sabia-a interminável, sem solução aparente ou próxima e de difícil credibilidade por parte dos familiares. Num ápice, a presença do pai, acentuou o tom mais agudo proveniente das suas entranhas A dissonância residia ali. Uma outra vez, aquele que a devia protege-la de um mundo inquieto, domou-a como uma serpente no Paraíso, entre palavras vãs e gestos rudes. 

A penetração forçada, antecedida por um soco no seu rosto, deu-lhe alento, por forma a tornar-se dominadora. Num movimento de prazer dolente e inquietante, libertou a fera contida em si. O punhal e o cutelo estavam mesmo ali ao lado, disfarçados entre a vegetação impávida e serena. Mulher serpente, domou a ignorância de um falo maldito, apoderando-se do objeto de prazer: o punhal. Ergueu-o e…


No dia seguinte, os média farejavam cada canto daquela localidade, adormecida pelo sangue, o manto negro, as palavras das comadres e o arrepio daquele que foi o último grito. Como sempre, apesar de todos conhecerem o passado de submissão e violência desta jovem, poucos são os algarismos capazes de quantificar a maledicência gerada em torno daquela mulher, desprovida de asas. Em casa, dado o trabalho jornalístico dúbio, todos se sentiram no direito de julgá-la. Logo ela que, entre problemas e só problemas, definitivamente acabara por “alimentar” os decompositores daquele solo fértil. O preço da justiça.


                           Conto de ficção para o Desafio de Escrita Os Pássaros #1

Comentários

Enviar um comentário

Este blogue é feito de histórias reais, que se misturam com emoções e valores, entre alguma ficção. Também de pessoas com opinião, sentimento e uma mão que se estende.

Não deixe de comentar!


Um abraço do
P. P.

Mensagens populares deste blogue

O Afastamento dos Professores do Ensino

O Professor está a dar cabo de mim

Pelo que ao ler, não deixe de abrir as hiperligações.

Ao longo dos anos, a vida de professor tem-se revelado “stressante”, associada a percursos deambulantes, com propósitos dúbios. Assim induz um Ministério insensível, intolerante, inerte, incapaz e desatento à saúde dos seus atores. Os dias de tranquilidade parecem não se avistar, tal é Esta Vida de Marinheiro. Por vezes, por forma a avaliar o nosso humor, já que os deuses devem estar loucos, há Azar na Praia.
A vigilância de exames é uma das minhas aventuras intermináveis. O mutismo forçado e a postura “hirta”, sem nada de estimulante, qual Amocha Maria. A ansiedade instala-se, pois ver alunos em sofrimento, sem nada poder fazer não me é fácil. Dias em que. Não tem Talo o Grelo.
Naquela manhã, o calor fazia-se sentir, adivinhando-se não encontrar quem dissesse: “Eu Descasco-lhe a Banana”. Após o duche, decidi vestir uns calções confortáveis, aparentemente adequados, apesar de ter emagrecido. Ao sair de casa, já atrasado, eis que a min…

Amor Marginal